Desvendando os Astros

Autotransformação e despertar espiritual

guiados pelo autoconhecimento

  • Facebook Desvendando Astros
  • Instagram Desvendando Astros
  • YouTube Desvendando Astros

e fique por dentro de todas as nossas novidades e promoções! 

Cadastre seu e-mail

A Cura e o Livre Arbítrio: Por que as pessoas não se curam e por que isso nos incomoda?

April 18, 2018

 

Desde que comecei a atender pessoas utilizando a ferramenta do ThetaHealing, observei que muitos chegavam até a consulta buscando a cura para o outro.

 

Diariamente, pessoas procuram o Desvendando se queixando a respeito de problemas de relacionamento com outras pessoas, focando apenas no comportamento do outro. Por exemplo, no jeito com que a outra pessoa as trata ou simplesmente em comportamentos alheios que as irritam profundamente.

 

Outra vontade muito comum é a de ajudar o outro a todo custo, que muitas vezes parte de um lugar de amor, mas acaba por frustrar quem não consegue resolver os problemas das outras pessoas. Nos perguntam também como fazer com que uma determinada pessoa chegue até o ThetaHealing, ou queira ser curada de alguma coisa ou desperte para a espiritualidade e o autoconhecimento. Acontece que tudo bem querermos ajudar quem está perto de nós fazendo o que está em nosso alcance, mas é preciso respeitar o tempo e a caminhada de cada um.

 

É PRECISO QUERER

 

Acreditamos que toda cura acontece de dentro para fora. É preciso, antes de tudo, que a pessoa que esteja recebendo a cura deseje, aceite e acredite ser curada.

 

Não é possível, simplesmente, forçar a cura em alguém. Primeiro porque isso seria contra uma lei universal chamada de Livre Arbítrio e também porque não fará efeito nenhum.

 

O Livre Arbítrio trata a respeito da nossa capacidade de fazer escolhas, mesmo que dentro de um contexto que pode ser considerado limitado, como este nosso, de alma dentro de um corpo. O Livre Arbítrio existe juntamente com o Karma e o Dharma, fazendo com que precisemos assumir responsabilidade por quem somos e como agimos a respeito de nós mesmos e do Universo e é preciso ser levado em consideração para que também respeitemos as pessoas como indivíduos nesse mundo: cada ser humano é um universo complexo, cheio de experiências, crenças e opiniões.

 

Um bom exemplo da importância de respeitar a escolha das pessoas, é que antes de qualquer coisa ser feita utilizando a ferramenta do ThetaHealing, é necessário o consentimento de quem é atendido. Dessa maneira, além da pessoa permitir ser curada, ela é trazida para a realidade da cura.

 

Sendo assim, como podemos nos achar no direito de exigir que alguém queira ser curado?

 

CRENÇAS LIMITANTES

 

Pode acontecer também de alguém, de maneira racional, querer ser curado, mas de existir algo em seu subconsciente que bloqueie a cura de acontecer. É o caso das crenças limitantes.

 

Crença é aquilo que uma parte de nós acredita ser verdade. Ela pode ser positiva ou negativa e nesse segundo caso, pode dificultar, por exemplo, que paremos com certos comportamentos que sabemos que não nos fazem bem.

 

Já atendi pessoas que, antes de uma cura, de uma mudança de vida, foi preciso encontrar o porquê dessa mudança ainda não ter acontecido. Em muitos casos, existiam crenças limitantes, por exemplo, quanto a merecimento. Pessoas acreditavam que, por diferentes motivos, não mereciam ser curadas, portanto a cura não chegava até elas, elas não permitiam.

 

Porém, não se preocupe. Crenças podem ser trabalhadas, canceladas, substituídas por crenças positivas. Se o bloqueio vier de crenças limitantes, uma vez que elas não estejam mais presentes, a cura terá espaço para acontecer livremente.

 

EGO x AMOR INCONDICIONAL

 

Quando começamos a buscar o autoconhecimento e a espiritualidade, e entramos em contato com novas maneiras de pensar e de sentir, além de técnicas de meditação e cura, pode acontecer de sentirmos ter encontrado todas as respostas.

 

É maravilhoso acreditar estar no caminho certo, observar que estamos aprendendo a cada dia e crescendo como almas, porém, é preciso lembrar que o que faz sentido para mim nesse momento, talvez não faça sentido para outra pessoa. Não podemos querer impor qualquer mudança ao outro porque mudamos.

 

Eu compreendo a vontade de ajudar, de contar para as pessoas como estamos nos sentindo bem para que o outro também se sinta bem. Mas precisamos sempre lembrar de que cada um trilha seu caminho e entra em contato com a verdade de acordo com seu próprio tempo.

 

Não podemos deixar que tudo isso que estamos descobrindo nos faça sentir acima de outras pessoas, “mais iluminados” ou “mais evoluídos” que os outros. Esse é um jogo do ego. Observe se sua vontade de falar algo para alguém vem do coração, de um lugar de amor.

 

O amor incondicional nos ensina a paciência e o respeito ao conviver com as pessoas. Não estou dizendo que será fácil, mas que se vier de um lugar de amor, nós, com o tempo, compreenderemos a melhor maneira de nos relacionarmos, pelo Bem Maior.

 

Se existe uma dúvida entre estar realmente falando algo movido pelo amor incondicional, peça por ele em suas meditações. Observe atentamente se ao ajudar uma pessoa, se você está querendo algo em troca. Busque o amor e o Universo assim o retribuirá.

 

MUDE O FOCO

 

O tempo todo estamos nos relacionando com pessoas, o que também é fundamental para o nosso autoconhecimento. Em alguns casos pode ser muito difícil quando começamos a trilhar caminhos e acreditar em coisas diferentes, então será preciso pararmos para avaliarmos a situação e nosso papel dentro dela.

 

Pode acontecer que após observar certos comportamentos, você compreenda que o melhor para você é se afastar. Também pode acontecer que você entenda que precise apenas trabalhar a calma e a paciência. De qualquer maneira, sempre que o convívio com alguém te incomodar por qualquer motivo, mude o foco.

 

Pergunte a si mesmo o porquê de algo te incomodar tanto. Procure dentro de si mesmo o que você precisa fazer diferente. Medite, pergunte, lembre-se de que estamos todos aprendendo e você nunca está só.

 

AUTOTRANSFORMAÇÃO

 

Não vou tentar te convencer que é fácil conviver, ter paciência e observar a si mesmo. Podemos inclusive, em uma auto-observação, encontrar aspectos dentro de nós mesmos que não sejam tão legais, mas ei! Estamos todos aprendo, crescendo, evoluindo.

 

Respeite seu tempo de se curar e respeite o tempo de cura do outro. Lembre-se de que toda cura é auto cura, precisamos procurar nos curar de nossas mágoas, tristezas, raivas e ódios, para podermos emanar o perdão e o amor incondicional.

 

Lembre-se de que emanando coisas boas, todo o ambiente a nossa volta responderá dessa maneira. Se você quer mudar o mundo em que vive, as pessoas com quem se relaciona, mude primeiro o que incomoda dentro de você. Quando levamos em consideração a Lei da Atração, a cura de um é a cura de todos. 

 

Antes de reclamar das outras pessoas ou da vida, mude o foco, procure a cura dentro de si mesmo. Com um pouquinho de paciência, observação, respeito e muito amor, todos vamos crescendo, no nosso tempo, do nosso jeito.

 

Referências: Thetahealing - Uma das Mais Poderosas Técnicas de Cura Energética do Mundo - Vianna Stibal 

 

_____________________________________________________________

 

E aí, gostou do post? Conte para a gente nos comentários!

 

E para mais textos sobre cura, autoconhecimento, espiritualidade e astrologia, segue a gente nas redes sociais através do InstagramYoutube e Facebook.

 

Até lá!

 

Namastê,

 

Sabrina.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Rituais de Fim de Ano: aprenda a utilizar o poder dos chakras e cristais

December 26, 2018

1/4
Please reload

Posts Recentes